Uma mãe de primeira viagem: Voando com um bebê!

"Que negócio colorido mãe, adorei!"

Eu estava morrendo de curiosidade para saber como seria voar com a Ana Luiza! Desde a nossa viagem para o Rio, já tínhamos emitido os bilhetes para Joinville, mas não podia falar nada porque queríamos chegar de surpresa para o aniversário da minha sogra!

Mesmo antes de ganhar a Ana Luiza, já lia alguns blogs de mães que viajam com filhos e peguei algumas dicas legais!

Nossa primeira experiência foi ótima, melhor do que estávamos prevendo. Aliás, fomos preparados para o pior, mas graças à Deus deu tudo certo.

Na ida, nossa conexão era super rápida e não deu tempo nem de comprar um café. Na volta ficamos duas horas em Congonhas e mesmo assim foi tranquilo.
  
O que aprendemos/iremos repetir para os próximos vôos: 

- Se antes eu já reduzia a bagagem, agora tenho que reduzir ainda mais. Na ida, por inexperiência, levamos um monte de coisas na mão. Era carrinho, bebê conforto, canguru, bolsa, cachecol, casaco, bolsa da câmera e mochila....agora imagina passando tudo isso no raio-x correndo!!!! Que amadores!!!!!! Na volta já deixei metade disso na mala e despachei.

- Chegar com 35 minutos para a partida... NUNCA MAIS. Éramos peritos em chegar em cima da hora, despachar a bagagem, passar no raio-x profissionalmente e embarcar. Agora, não podemos mais fazer check-in pela internet (bebê de colo) e com a bagagem extra, precisaremos de um tempo para embarcar profissionalmente de novo....estamos mais para menores aprendiz...

- A dica de amamentar na decolagem e no pouso é ótima. Os bebês podem chorar por conta da pressão no ouvido e o ato da sucção resolve o problema! No caso da Ana Luiza ela mamou o voo inteiro mesmo... a gente brincou que ela estava realmente nas nuvens, mamando sem parar e ainda com um balancinho para embalar o sono...não tinha MESMO como chorar!!! Na volta ela dormiu boa parte do tempo...um anjinho!

- O carrinho vale a pena para conexões maiores, as curtas não. Na ida não precisávamos ter entrado com o carrinho para despachar na porta do avião, poderíamos ter despachado com a bagagem. No fim, nenhum voo embarcou/desembarcou no finger e nos batemos um pouco na logística de levar o carrinho para/do ônibus, um desce e põe as malas no voo, o outro fica e desmonta o carrinho no pé da escada, enfim... acho que só vale a pena se a conexão for um pouco mais longa, assim você não precisa ficar segurando o bebê e fica mais fácil a locomoção dentro do aeroporto.

-  Uma outra dica bem legal que eu li foi a de ter as coisas para a troca em uma nécessaire, assim, você não precisa levar a bolsa toda para o banheiro minúsculo. Fiz uma troca de fralda em um dos voos, ainda em solo e foi super prático já ter a nécessaire no esquema.  Aprovadíssimo!

- Bom humor é a alma do negócio! Aproveite a viagem em família e tenha calma caso algo saia do planejado. Perrengues acontecem! :) Vale levar uma camiseta extra...nunca se sabe quando teremos um jato power de cocô, né?

Certamente voar com um bebê de dois meses e meio é diferente de voar com um de 6, 9, 1 ano...mas eu achei voar com ela muito tranquilo!!! Vamos ver como serão as experiências futuras.

No quesito estadia, planejamos uma semana, pois achamos que seria o tempo máximo para ela ficar fora de casa sem muito stress. Nos primeiros dias, ela ficou super bem e tentei manter a rotina dela de horários/sono/mamada como aqui em casa. Pensei que ela fosse estranhar muito dormir fora de casa, mas até que não nos deu problemas, dormiu a noite toda tranquila. Os sonos do dia a princípio foram bem, no últimos dias já estavam mais conturbados e notamos que ela começou a ficar meio stressada. Mesmo assim, foi uma experiência muito tranquila e esperamos não ter traumatizado ou causado muitos transtornos :)

Ah sim, como sabíamos que iríamos para Joinville em uma época de frio, iniciamos ela no banho de chuveiro na viagem para o Rio. Um de nós entra com ela no chuveiro e o outro espera de fora para finalizar. Ela AMOU tomar banho de chuveiro com a gente e nos salvou nos dias frios. Fora que economiza ter que levar piscininha inflável, bacia, banheira...é super prático e gostoso, recomendo!

Bom, sou suspeita, mas recomendo demais viajar em família!!!!

Com meu pai vendo os movimentos no aeroporto...

Mais alguma mãe por aí se aventurou?! Como foi?!

Até breve! 

Comentários

  1. Tô adorando seus posts, Karol! Muito fofa sua baby! :*

    ResponderExcluir
  2. Bom na minha época não era hábito voar...mas tenho experiência em acampamentos serve?
    Hahahahahahahahaha....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com essa família que temos, qualquer programa serve!!!! rs...

      Excluir
  3. Arthur voou pela primeira vez com oito meses, para o Rio para conhecer a bisa. Foi super tranquilo, tambem mamou na decolagem e só acordou depois do pouso. Aprendemos a nao levar carrinho tambem! Como ele é maiorzinho nos armamos de brinquedinhos e finger foods para distrai-lo em uma emergencia mas nao foi preciso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é...quando crescem tem que ter os brinquedinhos né!!! Prevejo uma mala cheia de cacarécos...hahahahaha
      Que bom que foi tranquilo, já podem repetir com destino a vix!!!!!!

      Bjs!!!

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor,

Obrigada por tirar um tempo para comentar aqui. Ficarei muito feliz em ler seu comentário e responderei assim que possível. Um beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

Parto Domiciliar do Mathias | A trajetória

Bon Appétit: Wrap de Alcatra e Cheddar

Inspirando...babies!