Uma mãe de primeira viagem: "FUI ENGANADA!!!"




No meio da gestação mais ou menos, li uma vez no babycenter sobre o "babyblues" ou melancolia pós-parto. Lembro que na época comentei com meu marido sobre o assunto e disse a ele que o índice de mulheres que o sentem era bem alto e que por isso eu tinha grandes chance de ter também, mas que se tivesse saberíamos identificar e que ele supostamente "é coisa que dá e passa".

Mas afinal o que é o babyblues?

É literalmente uma melancolia, uma tristeza e inteiramente gratuito no pacote vem muitas lágrimas! Eu diria que é tipo uma TPM (das melancólicas) elevada a máxima potência. Se você desconhece sobre o assunto, recomendo ler esta matéria AQUI!

Bom, uma coisa é fato: muitas mulheres tiveram o babyblues e não souberam. A verdade é que este é um assunto muito pouco falado no meio materno, eu mesma só soube de quatro amigas que tiveram e que falaram abertamente sobre o assunto. Não sei se por vergonha, por desconhecer ou sei lá o que...mas aqui vai a minha experiência...

Eu me lembro perfeitamente o momento em que começou. Nós chegamos em casa após o teste do pézinho e o marido foi para o escritório finalizar alguns assuntos e eu fiquei em casa sozinha, era hora de amamentar. Era a quarta-feira após o parto. Comecei a amamentar e de repente fui invadida por um amor sem fim, uma coisa diferente. Eu olhava pra Ana Luiza e pensava "meu Deus, que loucura, isso realmente aconteceu. Que parto lindo que tivemos, que privilégio, que sonho realizado, nossa como Deus foi maravilhoso" e por aí vai. Aí comecei a chorar de amor. No dia seguinte, no fim do dia sentada com o marido começamos a falar sobre o que cada um teve de experiência no parto e sobre as maravilhas daqueles dias. Chorei, chorei, chorei. Quando minha mãe ia embora, eu me acabava de tanto chorar pensando quão maravilhosa e amorosa ela era  de vir passar a tarde conosco, cuidar da minha casa, deixar tudo tão limpinho. A medida que o efeito das noites sem dormir iam inundando este corpinho, o motivo do choro mudou, passou de amor para tristeza e a luz vermelha piscou e eu entendi logo que estava passando pelo babyblues.

Os problemas com a amamentação, agravaram ligeiramente o quadro. O choro "sem motivos" também. De repente o início de uma mastite ajudou ainda mais. Comecei a chorar compulsivamente e pensava: "o que é que eu fiz?" "aonde eu estava com a cabeça?" "por que essa criança chora tanto?" "eu só queria dormir uma noite" "nunca mais vou conseguir dormir uma noite inteira grudada no meu marido (coisa muito apreciada pela minha pessoa!)" "minha vida nunca mais será a mesma" entre outros...mas o pensamento mais forte que eu tinha era: "FUI ENGANADA!!!! Me disseram que era maravilhoso!!! Me disseram que seria o momento mais feliz da minha vida!!!!!"

A verdade é que, pode não ser tão maravilhoso assim. Para grande parte das mortais, é muito difícil. A verdade é que pra muitas mães, o amor não é instantâneo. Uma amiga me falou uma coisa e faz muito sentido, ela comparou o momento inicial do pós parto com um luto. Nutrimos sentimentos e expectativas por nove meses, imaginamos, sonhamos, pensamos, idealizamos e aí vem a vida real. No nascimento, morrem as expectativas e surge a realidade e então passamos por um luto. De repente, vem o choro "sem motivo" (esse me mata!), as incertezas, o sentimento de estar fazendo algo errado ou não estar fazendo algo, as dores físicas, a impossibilidade de dormir, o cansaço, a recuperação e uma nova vida que chega de maneira um tanto quanto abrupta e as mudanças hormonais drásticas! 

Você precisa trocar, amamentar, cuidar, dar banho, amar, suprir carências afetivas, suprir a carência de sucção, acalentar, ensinar a dormir, por pra arrotar, entre tantos. No meio disso tudo ainda tem você, que fica meio esquecida e de lado, mas tem também o marido a casa a família e a cobrança por parte de uma sociedade que exige que você esteja reluzente, afinal, "é o momento mais maravilhoso e encantador da sua vida." Mas não é. E ai lágrimas sem fim rolam....

É um momento delicado, de muitas descobertas, de muito cansaço físico e mental, um momento de esquecer-se de si mesma e passar por cima de todas as dores por conta de um ser que acaba de cair em seus braços. É mais do que normal você não morrer de amores nos primeiros dias, vocês estão se conhecendo, se descobrindo e o tal amor incondicional vai chegando aos poucos, a medida que você consegue assimilar as coisas, que aquela pessoa na sua frente é a mesma que te acordava pelas manhãs fazendo estripulias dentro da barriga, aquela com que você tanto sonhou.
O bom disso tudo é que passa. Na inicio da semana seguinte, passou. A melancolia em si, passou! Eu já não chorava mais compulsivamente sem motivo aparente e conseguia me controlar para não desabar na frente das pessoas. Me senti aliviada por ter acabado...era menos uma coisa com o que se preocupar!

Vale ressaltar que o babyblues se da por uma questão hormonal (igual a TPM) e é completamente NORMAL. Babyblues não é depressão pós-parto e não requer tratamento!

O que eu recomendo demais é ter o apoio do marido, da família, amigos, enfim, quem estiver por perto nesse momento. Vai fazer MUITA diferença, principalmente se as pessoas souberem pelo que você está passando. Tenha calma e saiba que tudo isso também passa.  Escrevi para uma amiga contando que estava passando por este momento e ela muito amável, me relatou toda sua experiência desse período e me disse quão importante foi ela se apegar ainda mais a palavra e a oração! Aquilo me encorajou e naquela segunda eu orei pedindo a Deus que me desse graça para passar aquele momento e que Ele fizesse ir embora toda melancolia... Foi meu último dia! :)

Apesar da melancolia ir embora, no meu caso, ainda ficou o stress, o cansaço e algumas outras coisinhas que precisavam ser superadas, que eu espero poder, mais adiante, escrever aqui.

E vocês mães? Passaram pelo babyblues? Sabiam? Como enfrentaram? Deixe seu comentário e encoraje outras (futuras) mães! 

Até breve! 

Comentários

  1. Amo o q vc escreve me identifico mto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! É bom quando nos identificamos com textos e experiências de outra pessoas, né? Bjs!

      Excluir
  2. Oi sou a Ana de sp eu realmente gosto dos seus textos eu tenho uma bebe de 40 dias e foi bem util tudo que li inclusive sempre venho ver se tem texto novo rsrs comi mto brownie de chocolate q vc ensinou e virou minha sobremesa predileta!!! Deus te abençoe mto e que essa nova fase seja mto boa pois daqui a pouco começam as saudades de bebe novo e etc rsrsrs bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Que comentário mais lindo!! Amei!!! Nem me fale em brownie... Ando com uma fome sem fim!!!!! Quando nasceu seu bebe? É menino ou menina? Bjs!!!!

      Excluir
  3. Oi Karol aqui é a ana, tentei resp mas perdi tudo rs vou postar de
    Novo... Minha bebe é a Ana Elisa nasceu 31/5 p normal! Com anestesia no fim... Bem, eu curto mto o blog ja sou fã! Q Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  4. Eu resp pelo nome do meu marido mas sou eu a ana!!! E sim da fome de lascar nessa fase de amamentar neh rsrsrsrs bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro leitor,

Obrigada por tirar um tempo para comentar aqui. Ficarei muito feliz em ler seu comentário e responderei assim que possível. Um beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

Parto Domiciliar do Mathias | A trajetória

Bon Appétit: Wrap de Alcatra e Cheddar

Inspirando...babies!