Diário de Bordo: Atlanta - Final

Este post está encantado, só pode! Deixei ele pronto na quinta-feira, mas não tive como editar as fotos. Deixei pra fazer em casa, já que agora sou uma pessoa novamente conectada ao mundo e aí meu carregador bixou..... mas hoje vai!!!!!!!

A nossa última semana estava programada para estarmos com a família e os amigos! Como a viagem saiu muito em cima da hora numa correria louca, ficou difícil avisar e marcar com todo mundo e infelizmente não vi metade das pessoas que eu gostaria! Na próxima visita com certeza quero me programar melhor e já deixar tudo nos esquemas. Revi poucas amigas, mas valeu cada minutinho com as que vi!!! Vanessa, te devo uma visita de gente.... rs...

No final de semana fizemos aquele super roteiro turístico. Atlanta não tem praia ou paisagens naturais deslumbrantes, nem grandes atrações como NY. Contudo, é a economia mais expressiva do sul dos Estados Unidos e em franca expansão desde que sediou as olimpíadas em 96. Muita gente migrou do norte do país (e imigrou) para esta cidade nos últimos (+/-) 20 anos. O legal é que ela é grande, moderna, completa, mas por seu crescimento ser recente, ela também é muito mais organizada, nova, bem distribuída e limpa do que outros grandes centros. Um dos maiores destaques da cidade é sem dúvidas a Coca-Cola e a Delta Airlines, duas gigantes orgulhosamente "georgianas". Sim, a Coca Cola foi inventada na Geórgia e sua sede mundial fica em Atlanta, assim como o seu museu.

Fomos para o centro no sábado logo após o maléfico café da manhã e matamos alguns dos pontos principais: Piedmont Park, uma antiga fazenda no centro da cidade transformada em um parque público; O centro financeiro, com empresas de renome como a Home Depot, a PwC, bancos diversos, Equifax, Georgia Pacific, entre outros; a sede da CNN e fechamos com o museu da Coca Cola. Para a próxima visita fica o Georgia Aquarium, maior aquário do mundo!

Na volta, uma parada básica no meu restaurante mexicano predileto de TODA GALÁXIA: Pappasitos! JC ouviu MUITO sobre ele e por sorte meus primos também amam. Não dava pra ter encerrado a noite de melhor maneira.

No domingo pela manhã fomos à reunião da igreja aonde meu outro primo se reúne. Muito legal! O Chris Tomlin é quem fica à frente do louvor e o mais legal de tudo é a liberdade que se tem quando o Espírito Santo está presente. Não interessa se é no Brasil, nos EUA, no Japão...o Senhor é o mesmo em toda parte e quando a sua igreja se reúne é sempre maravilhoso. Fiquei muito agradecida de estar ali com aqueles irmãos, de ouvir uma palavra centrada na pessoa de Cristo e não de homens e por estar ali com a minha família.

Depois rolou um churrasco em família e eu rolei o resto do dia. Essas pessoas todas montaram um complô contra a minha pessoa, só pode!

Na segunda à noite tivemos um encontro MUITO especial! É uma história muito louca! JC sempre me comentou que um amigo dele da rua tinha se mudado para Atlanta lá pelo fim dos anos 90 e ele se chamava André, mas não lembrava o sobrenome desse amigo. Depois de já estar aqui  no Brasil, eu descobri que o André que eu conhecia lá em Atlanta era de Joinville. Coincidência, né?  Pois no final do ano passado eu resolvi tentar desvendar se eram a mesma pessoa e depois de ver uma foto do André criança, no colo da mãe, JC se deu conta que conhecíamos a mesma pessoa e que o amigo dele estava lá! O mundo é muito pequeno... sempre soube!

Marcamos de sair na segunda à noite para comermos uma pizza. Que reencontro legal!!! Pensa o quanto falaram sobre Joinville e suas maravilhas (e o JEC, gente?! Pensa num time!)!!!! Também conhecemos a esposa dele, um amor de pessoa. Nosso único problema foi ter esquecido de tirar uma foto...é que o papo estava tão bom...passou tão rápido (e o frio estava tão congelante) que quando nos demos conta, havíamos esquecido essa parte. Fica pra próxima com certeza!

Quarta à noite foi muiiiiiiiiiiiiito especial. Reunimos (quase, faltou uma!) todos os primos à noite para aquela pizza (receita secreta familiar) e muita gordice de sobremesa (eu que fiz, gente!). Ai que delícia estar junto, rir (muito) junto e relembrar tantas histórias que SÓ esta família Lordelo tem. Quanto mais velha (lá vem...) eu fico, mas eu percebo do valor de uma família que se dá bem e resiste a ação do tempo. É difícil manter vínculos nos dias de hoje com tanta correria, stress e também pelos rumos que a vida de cada um dá. Nós primos, crescemos, cada um formou a sua própria família, tomou seu caminho e muito facilmente nosso vínculo pode se perder. Sou extremamente pró família e faço o possível para estarmos juntos sempre que a vida nos dá esta oportunidade. Vejo muita gente que fica velha e que claramente se arrepende de não ter lutado por essa união ou por estes momentos e eu não quero chegar lá na frente e ter este arrependimento. Tenho a sorte de ter tias unidas, presentes e que valorizam isso também, nos passando o exemplo. Essa foi a melhor parte da viagem! Espero ansiosa pelo próximo reencontro, seja quando for ou aonde for...

Na quinta finalizamos as nossas compras pessoais, levei JC ao paraíso na terra (loja de música), minha antiga casinha e começamos a interceder pela volta. Era muita coisa e a logística complexa...falo melhor sobre isso amanhã!

O saldo da viagem com certeza foi extra positivo! Acho que consegui apresentar bem um pouco da cultura, da pessoas, costumes e afins pro JC. Tentei ao máximo explicar como funciona a mente dessa galera e repassar o que eles tem de melhor: a boa educação! Comentei no primeiro post e sem dúvidas a cordialidade e hospitalidade dos sulistas é um dos traços (se não o principal) mais marcantes dessa gente e é maravilhoso ser bem atendido, receber um sorriso sincero, ajuda despretensiosa e ver que ainda existem pessoas que acreditam nas outras de modo até ingênuo, é um choque e tanto! Um povo muito diferente do próprio americano (yankees e outras regiões), do europeu, do asiático e do latino, esses dias nos ensinaram muito! O senso de limite de privacidade também é MUITO forte. Saber até aonde vai o seu limite e onde começa o do outro é algo já no DNA do americano. No nosso, infelizmente, não. Isso fica muito claro em um voo, por exemplo. No voo Charlotte / São Paulo, tinha um americano do nosso lado e ele ficou claramente incomodado com o barulho que os brasileiros faziam totalmente desnecessário, o fato de ficarem parados no meio do corredor atrapalhando a passagem dos comissários que estava atendendo uma emergência e otras cositas más que sabemos que precisamos melhorar (me incluo, tá?!).

No fim de cada viagem a gente sempre conversa no último voo sobre o que aprendemos com aquela viagem para aplicarmos na próxima, no sentido de logística e amadorismo mesmo (estamos tentando ser promovidos a Júnior, ainda somos estagiários). A última nos ensinou a levar o mínimo de bagagens possíveis e a não comprar coisas por impulso e depois sofrer para encaixá-las na mala, tipo gente que pira e quer encher a adega em uma só viagem e depois a mulher tem que se virar pra achar plástico bolha no bairro (e adivinhar como fala também)...... Também aprendemos mais sobre IOF. Nesta, fizemos direitinho: duas malinhas de mão para cada e mais espaço para as tralhas que foram muito bem pensadas, na volta. Esta viagem nos ensinou que levar menos é mesmo muito mais inteligente, que negociar o câmbio é de Deus, a resolver um problema de cada vez (no próximo post) e que há males que vem para o bem (no próximo post)!

Escrevi muito?! Espero que não...eu sempre tento ser concisa....prometo!













Além de morango recheado com Nutella, também fiz Petit Gateau...mas tudo muito light!!!!!

Sim, minha familia toda é linda!!!! :)  A da esquerda foi nossa anfitriã mais querida e engordativa do mundo!!!




Nosso último almoço no aeroporto em CLT! Encerrando mais uma viagem pro nosso livrinho! :)







É isso! Espero em breve escrever sobre como foi viajar gestante! Sem dúvidas uma experiencia única!!!

No mais a vida segue a mil por hora para deixar tudo pronto para a chegada da Ana Luiza, ainda falta muita coisa...mas um dia de cada vez.....

Obrigada à todos que acompanharam mais esse diário de bordo, pela paciencia e pelos comentários carinhosos! Grávidas curtem essas coisas...hehehehe

Boa noite e até breve!!!


Comentários

  1. Eu amo como vc escreve tao bem e descreve tudo tao lindamente x)
    Eu senti mto nao ter tido como ver vc :~
    E repito, quero seu end. dps pra mandar um presentinho pra Ana Luiza ;]

    Bom, eu nem preciso falar o qto amo Atlanta e ja considero minha casa de fato.
    Ta quase chegando o dia em que minha vida tera sido passada metade no Brasil e metade aqui.. *sighs*
    Enfim, bom saber que vcs voltam! e da proxima, quero te ver sem falta ;)
    Beijos!!! Beijos!!!!

    PS: amei todas as fotos de gordices x)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro leitor,

Obrigada por tirar um tempo para comentar aqui. Ficarei muito feliz em ler seu comentário e responderei assim que possível. Um beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

Parto Domiciliar do Mathias | A trajetória

Bon Appétit: Wrap de Alcatra e Cheddar

Inspirando...babies!