Obrigada Joinville, amo você!





Sempre estive consciente de que a partir do dia que me casasse, minha cidade passaria a ser a cidade do meu marido, independente aonde fosse. Com isto, me preparei psicologicamente por quase três anos para casar e morar a 1500 km "de casa". Foi difícil? Vou mentir se disser que sim, prefiro dizer que teve seus momentos. Eu SEMPRE digo e é muito nítido que, É PIOR PRA QUEM FICA. Com certeza a minha mãe e irmã sofreram mais. Quem vai, sempre se entretêm com novidades, quem fica, convive com as lembranças. Mas tive sim meus momentos de carência familiar, quem não tem? Cheguei a ficar nove meses sem ver a minha família e não morri por isso, mas quis muitas vezes um café da tarde juntos, um passeio, uma conversa ao vivo, um abraço. Graças a Deus pela TIM e seus 0,25 centavos!

Outro facilitador da minha adaptação e pouco sofrimento foi o destino. Encontrei aqui muitas "coisas" que contribuíram para que eu pudesse amar esta cidade como se fosse minha.

Fui recebida na família do JC, como se fosse mesmo da família! Fui amada, acolhida e muito bem cuidada. Já ouvi muitas vezes que ele perdeu a preferencia e que se preciso for, eu sou defendida e ele não...rs... (ele é meio dramático, dá um desconto!), mas me senti assim mesmo, em casa. Meus sogros foram maravilhosos em tudo e meu cunhado é meu irmão amado fofuxo lindo que eu não tive. Minha sogra em especial, tem aquele jeito mãezona e sempre me constrange quando já chega com o pão pronto, o café adoçado na xícara e tudo mais pra que eu tenha tão somente o trabalho de mastigar! Sim, ela é assim mesmo e é real! Fonte de muito, muito amor e doação! Sou a membro "nordestina", espalhafatosa e tagarela dessa família e me permitir ser quem eu sou sem teatros ou rodeios e fui amada demais!!!

Pelos irmãos, fui recebida de igual modo. Domingo olhava para algumas pessoas e chorava ao lembrar de tantas vezes que um abraço e um simples "mana, tô orando por ti tá...aquela situação, pode deixar!" foram bem mais sinceros que longos discursos. Sei que aquele grupo de oração das segundas à tarde me sustentou em oração algumas muitas vezes. Aprendi TANTO mas TANTO só observando pessoas maravilhosas, especiais, amadas, simples, gente que ama independente do que se tem ou é. Ama por amar. Sou grata por cada sorriso, cada abraço e cada momento que pude de alguma forma ser útil e servi-los. Minha casa sempre será de cada um, para servi-los e amá-los assim como fui por vocês. Eu confesso que fugi domingo a noite de muita gente e fingi não estar me despedindo para não chorar. Grata demais por ter essas pessoas na minha vida e certa de que eu de fato NÃO estou me despedindo. Obrigada Igreja!

Todo mundo sabe que o sulista carrega o estigma de ser fechadão e de difícil acesso. É verdade, ainda mais em cidades aonde a origem é alemã, que é o caso de Joinville. É MUITO diferente de se conviver com baianos, capixabas, cariocas, sul mato-grossenses ou qualquer outro povo, cada um tem o seu jeito. Fazer amizades em Joinville não é fácil, mas eu tive a sorte de já ter no pacote marido, alguns amigos especiais. Outros, pude ter o imenso prazer de construir uma amizade do 0! São poucos, mas os melhores amigos que alguém pode ter. Cada um com seu jeitinho especial, fez lar uma cidade desconhecida. Recebi apoio, amor, presentes, puxões de orelha, comidas mil, sorrisos, amizade verdadeira. E o que dizer das pessoas que a gente conhece a meses e que mais parecem anos? Foi difícil dizer um tchau mais longo...... muito difícil! Fugi de muita gente também! :) Não se esqueçam que quem não aparecer, ganha um boleto de aluguel pra pagar!

Talita, você ganha paragrafo especial porque o seu paragrafo na minha vida é especial. Não tenho palavras para agradecer tudo que fez por mim, mesmo que muitas vezes sem saber. Inúmeras vezes, só a sua companhia no carro já era suficiente para a alegria do dia. Obrigada por fazer da sua casa a minha e vice versa. Só de ter ganho sua amizade, valeram todos os 3 anos de Joinville. Tiagão sempre será meu chucrute predileto também!!!! :)

Acho que nunca escondi meu amor por esta cidade. Amo mesmo com chuva e sem praia!!!! Amo tudo de bom que ela nos proporcionou, cada momento vivido aqui neste paraíso dos anfíbios! Nem guardo rancor por ter mofado minhas toalhas... o fato de poder falar no celular no meio da rua tranquilamente em pleno centro da cidade, ou ainda dirigir de madrugada sem medo de ser feliz recompensa cada pontinho preto em cada toalha!

E os espinhos? Eles existem, em todo e qualquer lugar. Até os espinhos foram bons! Você encosta, machuca, sangra, deixa marquinha e sempre que olha e se lembra, lembra-se também de que "é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã...."

E assim me despeço e fecho mais um ciclo. Três anos e eu sofri muito mais para deixar do que os 7 que passei em atlanta. Deve ter sido pela felicidade intensa e o amor abundante, coisas que a zona de conforto causam. É hora de deixar a zona de conforto e recomeçar, de novo. Nem tudo novo, pois estou voltando à terrinha natal, mas diferente de outras vezes.

Aos que ficam, amo vocês e antes que pensem em sentir saudades estarei aqui pronta para uma torta e mil coxinhas na São José!!!!!

Obrigada Joinville, amo você(s)!!!

"Já morei em tanta casa que nem me lembro mais........."

Comentários

  1. Essa é a parte boa de se mudar...quando você sabe q vai sentir saudades e também q vai deixar saudades...
    E ainda tem a parte q agora você vai estar voltando a passeio,porque uma parte da sua vida vai sempre estar por ai..e Ana Luíza vai ter sempre um passeio pra contar...
    Agradeço aos Beduschi por todo amor e dedicação com que receberam você,sempre tive muita paz no meu coração desde o primeiro dia que os conhecí...Amo a Eron como se fossemos irmãs de carne e sangue,e admiro a mulher que Deus tem feito dela,soube desde o primeiro dia, que sua história com ela seria de muito amor,espero corresponder de perto.
    Aos irmãos eu teria que usar um velho cântico..."Eu não sei o que seria da minha vida sem irmãos e irmãs..." São muito queridos e preciosos...Esperamos receber a todos aqui...e servi-los,com nossa vida e nossa casa.

    Obrigada a todos...

    Sued Lordelo

    ResponderExcluir
  2. Gente...chorei, acredita? linda sua gratidão amiga...O Senhor é muito bom!
    Acho que a emoção é por saber que isso tudo é tão verdadeiro e por poder testificar que Joinville (e todo o pacote descrito acima) só te fez melhor...mais amiga, mais forte, mais madura, mais parecida com Jesus. Quer saber? Também sou grata por esses três anos seus passados lá. E sou grata à Joinville pelo amigo Jó, por quem Josias e eu temos tao grande apreço! Esse cara é realmente único!!
    Que Jesus seja louvado por Sua presença e Sua obra na vida de vocês!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro leitor,

Obrigada por tirar um tempo para comentar aqui. Ficarei muito feliz em ler seu comentário e responderei assim que possível. Um beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

Parto Domiciliar do Mathias | A trajetória

Bon Appétit: Wrap de Alcatra e Cheddar

Inspirando...babies!