Diário de Bordo: Pequim Parte V


...espero que vocês todos tenham tido uma semana muito boa! A minha foi super corrida mas foi mais cansativa do que corrida na verdade. Desde que cheguei de viagem comecei com uma crise de rinite que não passava por nada e acabou virando uma rinosinusite e o pico dela foi essa semana. Dormi mal (pra não dizer quase nada), e estava tossindo feito um cachorro velho à beira da morte com tuberculose e fiquei a base de entorpecentes (legais)! hahahahahaha....
Fui no médico na quarta e os santos remédios já começaram a fazer efeito! Ah sim...só pra constar a causa mais provável dessa crise tão forte (NUNCA tinha ficado assim) foi a poluição de Pequim. Pra vocês terem uma ideia, os meninos não abrem NUNCA nenhuma janela de casa. Se não abrindo ela suja em em meio dia, abrindo além de sujar você ainda fica respirando pura poluição. Sendo assim, eles mantêm vários umidificadores pela casa. LEGAL, NÉ? Muito amor por Pequim, Brazeeeeeeeeeel!!!!!!

(Explicado o sumiço.....)

***
Dia 04: Shopping dos óculos + Summer Palace. 

No dia anterior, no Silk, não deu tempo de pesquisarmos/negociarmos óculos e todo mundo queria passar por esse departamento. Sendo assim, nossa super guia turística nos tranquilizou dizendo que passaríamos no shopping dos óculos no dia seguinte. Três ou quatro andares só de óticas, tá bom pra você? 
Marcamos de nos encontrarmos todos lá bem cedo (errr...) e nosso trio lindo foi de metrô. Tem uma estação bem próxima e o prédio é do tipo imperdível: Tem um óculos bem grande no letreiro, caso você não saiba ler os ideogramas. Chegando lá esperamos um pouco até o pessoal chegar e quando eles chegaram a Ari já sabia de uma loja específica para negociar. Algumas pessoas iam fazer o exame para poder comprar óculos de grau (não era o nosso caso), então ficamos boa parte do tempo papeando e rindo das histórias épicas do seu Yoshitake (pai da Ari). Eu tinha duas encomendas de óculos para levar, então já aproveitei para negociar logo e ficar de bobeira com os meninos. A experiência bacana mesmo deste shopping foi no banheiro...fugi ao máximo do buraco no chão, mas neste shopping não tive muita escolha...ou era ou não era! Que coisa estranha! Me senti no mato!!! Mas como a minha experiencia de fazer xixi em lugares inusitados é ampla...tirei de letra! Lembrando sempre que levar papel higiênico vale ouro, ok colegas?!


To ensaiando pra pedir informação!

JD, Eu e nossas escolhas! :P

Passamos a manhã toda lá e optamos por almoçar na Pizza Hut que tinha ali próximo. O cardápio é bem parecido com o dos Estados Unidos e daqui do Brasil, só que eles oferecem algumas opções de recheios mais inusitadas que incluem camarão, salmão, etc. Eu particularmente passei.... fiquei com o bom e velho pepperoni! Agora o chá.... que delícia! Iced tea com gostinho southern (eu acho diferente o iced tea daqui do iced tea made in ol' Georgia!)!!!

Acho que o momento mais legal desse dia, foi que tivemos que sentar em mesas separadas e a Ari acabou sentando conosco, o que foi muito legal pois como ela mora lá, deu pra trocar algumas ideias e filosofias sobre os xings, coisa que eu estava morrendo de vontade de fazer!  A galera brasileira que mora lá, aparentemente gosta de tudo, é bem estruturado, é uma cidade gigante com tudo que se possa imaginar de opções, é altamente seguro, é moderno, mas o grande contra generalizado: os chineses. De vez em quando eles se bicam com alguém, só que sempre tem que ter muito cuidado, pois eles se unem pra bater nos estrangeiros e defender a classe. Normal. 

Mas tive uma conversa muito rápida e legal com a Ari sobre os "porquês". Até então, tudo que eu tinha feito era observar com descaso e nojo muitas das atitudes desse povo, mas não tinha parado pra pensar muito sobre o porque de tamanha discrepância cultural. Tudo nessa vida tem um porque. A Ari me contou que ela no início também teve muita dificuldade e que foi com uma cabeça de que ela iria mudar pelo menos um chinês e acabou se frustando quando a coisa não saiu como esperado. O problema é que nós somos o problema. Quem conhece um pouco da história desse povo sabe que, por milhares de anos eles viveram em um regime completamente fechado à tudo que era contrário ao que o governo apregoava. Hoje, o governo oferece certos benefícios que, na visão deles, são as coisas mais maravilhosas deste mundo. Hoje, discute-se por exemplo, aposentadoria...meu Deus, para eles é algo semelhante ao paraíso! Eles estão certos de que vivem no melhor lugar do mundo!!! (E por que não?)

A ausência de contato com tudo que se passava "lá fora", mais o regime rígido, mais questões culturais, formou a identidade deste povo. Eles comem insetos (no interior essa cultura é mais forte) e coisas bizarras porque era uma questão de sobrevivência, eles não tinham o que comer! Hoje, são tantas opções... Hoje eles tem internet (altamente restrita e controlada, mais tem), hoje eles tem muitos turistas e imigrantes, hoje eles podem sair do país, hoje eles estão começando a conhecer o lado de fora. A Ari me contou uma história que me partiu o coração.

Na empresa que o marido dela trabalha (brasileira, com uma de suas unidades na China) trabalham diversos chineses inclusive na engenharia, administrativo, e afins. Em uma certa ocasião, o marido dela não poderia ir à uma reunião em algum país da Europa e o xing foi o escolhido. Com receio de fazer feio, ele pediu ao casal que o ensinasse a comer com garfo e faca, como se vestir e o que ele deveria fazer para ser bem aceito neste determinado lugar. Eles deram uma aula rápida pra ele e explicaram coisas básicas como banho, uso de perfume.... Deus sabe que ainda bem que eu não estava com a TPM desta semana, bem provável que ouvindo uma coisa dessas eu ia desabar de tanto chorar imaginando o xing e me dando conta de como eu sou tosca. Comecei a me sentir ridícula. Depois ela contou do apreço que eles possuem pelo estrangeiro em geral. Eles acham que os estrangeiros são pessoas muito cultas, que conhecem do melhor. Um exemplo é que no supermercado, é bem comum algum chinês segui-los. Tudo que eles colocarem no carrinho, o xing quer colocar também. Afinal, na cabeça deles funciona da seguinte maneira: se o estrangeiro está comprando é porque é bom, independente do que seja. É por isso que eles nos olham tanto, observam, dão risada, nos acham bonitos por mais feios que sejamos, somos interessantes. E olha que estávamos em Pequim...imagina nas províncias dos cafundós de Judas.... somos e.t's! 

Escarrar e cuspir na rua é normal (no interior eles cospem no chão até dentro do restaurante), não escovar os dentes é normal, não fazer uso de higiene pessoal é normal, e misturar um monte de roupa nada a ver uma com a outra é normal desde que o que você esteja usando seja caro. Para eles não tem hora, purpurina, lantejoula, cílios postiços, misturado com tênis é algo lindo para se usar durante o dia. Os meninos dizem que é muito normal ver a menina de social e usando um tênis porque o tênis é caro, então é bonito. Sendo assim, a moda Pequim para os nossos padrões, é um desastre, só pra constar! Eles te atropelam na rua, querem passar por cima de você porque eles são criados assim! Se eles não forem os primeiros, tem mais zilhões de xings atrás para concorrer com eles. Eles não tem irmãos, primos, tios...não são acostumados a dividir nada! Tudo isso reflete em quem eles são e o porque de serem como são. 

Saí dali me sentindo péssima. O problema não é Pequim, o problema sou eu. Eu que sou estranha ali e não o chinês. O chinês está na casa dele, fazendo o que ele está acostumado a fazer e eu que cheguei ali impondo os meus padrões, os meus ideais. Que mentizinha inha inha! Nosso problema é esse...não sabemos lidar com o diferente, o que choca. Não sabemos, mesmo! E quando me dei conta da minha insignificância perante a uma cultura riquíssima em história e milenar, minha visão mudou completamente. Tirei o meu pré-conceito e passei a ser mais humilde nos meus julgamentos. Não estou dizendo que vou aderir a estes costumes, mas sim que, julgá-los ou considerá-los de qualquer modo inferior foi a coisa mais terrível que eu poderia ter feito. Nota zero para a aluna de Relações Internacionais que se julga "cidadã do mundo". Nota -35 pra pseudo discípula que prega que Jesus ama a todos de modo igual e que perante o Senhor somos todos iguais. Falta muito pra eu enxergar como Jesus, isso ficou bem claro pra mim. Fui altamente preconceituosa.   

Dali fomos de metrô até o Summer Palace. Este palácio de verão tem uma longa história que passa por algumas dinastias, mas a sua construção e suas modificações todas tinham por objetivo servir de refúgio ao imperador. Ele tem um lago enorme artificial e diversos palácios e jardins todos construídos com arquitetura chinesa clássica. Foi tombado como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1998 (aliás, a lista destes patrimônios localizados no Brasil é muito legal!). O lugar é super lindo, mas tivemos o azar de estar uma poluição terrível, tempo feio, fechado... Mas valeu a visita e eu recomendo como ponto turístico imperdível. Dá pra sentir no "O último imperador de qualquer lugar asiático" fácil! :)

De lá tomamos um café no Starbucks e fomos para....adivinhem só.... um outro shopping! Á esta altura do campeonato eu já tinha jogado a toalha. 

Que fofinho!!! 

Bom como sempre. :)
Acho que aqui no Brasil não tem Dairy Queen, tem? SP? Maybe? Tirei essa foto porque me lembrei dos bolinhos de aniversário da little Suzana, de quando ela era mais baby :'(
É um shopping lindo e ultra moderninho de Pequim, o Solana. Ele me lembra muito os shoppings americanos abertos. Tipo o Aventura Mall de Miami ou o Outlet da 400 na GA. Tem de tudo lá! Foi lá que eu vi chineses com mais de um filho, geralmente casado(a) com um estrangeiro, chinesas bem vestidas e muito gringo residente. O shopping é lindíssimo, limpo e adivinhem só: tem papel no banheiro!!! Chorei lágrimas de pérolas!!!
Sinceramente eu procurei uma ou duas coisas bem específicas que eu estava precisando e no demais fiquei perambulando pra la e pra cá com o JD. Os homens ficaram vidrados nos eletrônicos e as mulheres em tudo que viam pela frente. Estava super cansada, com cólica e fome. 

Like a happy kid no shopping! 

Foi então que os homens decidiram que iriam pra um restaurante italiano ali perto e eu não pensei meia vez na hora de optar por ir junto. O programa deles me parecia muito mais agradável! hahahahahaha 
Logo depois as mulheres também chegaram e jantamos todos ali. Foi um dia e tanto! :) O restaurante era maraaaaaaaaavilhosoooo e a turma indescritível de tão top!!!!! Já estava começando a sentir saudades deles! 

Pós jantar: draminha do táxi parte MIL + soninho reparador maravilhoso.

Programação do dia seguinte: A GRANDE MURALHA DA CHINA e o último dia. 

continua.....

Bom final de semana pra vocês e até semana que vem se Deus quiser! :)

Comentários

  1. Uaaaaaaaaaaaaaal...as aventuras de karol eos J's continuam...
    Mas é bem assim msm né amour...estamos sempre querendo mudar o próximo...Mas vc ainda tem muuuuuito tempo pra treinar...
    Saudades de vcs!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Devia pensar em um nome com J se eu tivesse um menino né? Pensa que família!!! Acho que vou por João Eduardo, assim fica, JC, JD, JE...hahahahaha

      Besos mama!!

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor,

Obrigada por tirar um tempo para comentar aqui. Ficarei muito feliz em ler seu comentário e responderei assim que possível. Um beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

Parto Domiciliar do Mathias | A trajetória

Bon Appétit: Wrap de Alcatra e Cheddar

Inspirando...babies!